sexta-feira, 28 de agosto de 2015

"Se for necessário, eu vou para a disputa", diz Lula sobre 2018

Nesta sexta-feira (28), o ex-presidente Lula afirmou que, se for necessário, irá disputar a presidência em 2018. Lula destacou que nada está definido com relação a isso, e que espera que outras pessoas se candidatem, mas que não descarta entrar na disputa: 
"Não sei [se vou ser candidato]. Não posso dizer nem que sou nem que não sou. Sinceramente espero que tenha outras pessoas para serem candidatas. Agora, uma coisa pode ficar certa. Se a oposição pensa que vai ser candidata, que vai ganhar, que não vai ter disputa, que o PT está acabado, pode ficar certo o seguinte: que se for necessário, eu vou para a disputa e vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições", afirmou em entrevista para uma rádio de Montes Claros (MG).
"Se a oposição pensa que vai ser candidata, que vai ganhar, que não vai ter disputa, que o PT está acabado, pode ficar certo o seguinte: que se for necessário, eu vou para a disputa"
"Se a oposição pensa que vai ser candidata, que vai ganhar, que não vai ter disputa, que o PT está acabado, pode ficar certo o seguinte: que se for necessário, eu vou para a disputa"
"A oposição tem que ter paciência neste país. Eu perdi três eleições, voltava para casa. Eu não ficava xingando as pessoas. Eu não ficava falando palavrão. Eu ia para casa me preparar. Como diria o Brizola se estive vivo, eu ia para casa lamber minhas feridas, ou seja, para me preparar para a outra eleição. Foi assim que eu fiz durante 12 anos. A oposição precisa parar de resmungar, tem de parar de xingar a presidenta, ela tem que torcer para que esse país melhore", acrescentou.
Reafirmando o que disse no discurso desta quinta, Lula ressaltou que "ninguém quer mais golpe neste país. Quem quiser ser candidato à Presidência da República que espere 2018, dispute democraticamente e vê se ganha as eleições". O ex-presidente declarou não acreditar na interrupção do mandato da presidente Dilma Rousseff antes de 2018, como quer a oposição.
"Não acredito em impeachment da presidente Dilma. Acredito que as dificuldades que nós estamos passando agora serão vencidas na medida que a economia comece a se recuperar e os programas anunciados pela presidenta Dilma comecem a dar resultado", afirmou.
Lula também comentou sobre o atual momento econômico: "Ela [Dilma] trabalha com a ideia de que nós vamos ter um 2015 sofrido, como nós estamos tendo, com dificuldades, mas na expectativa de que nós vamos ter um 2016 que comece a melhorar."
Com relação às investigações sobre corrupção na Petrobras, Lula disse que não tinha conhecimento dos desvios na estatal. "Eu até gostaria de ter sabido antes. Eu não sabia. A Polícia Federal não sabia. A imprensa não sabia. O Ministério Público não sabia. A direção da Petrobras não sabia. Só se ficou sabendo depois que houve um grampeamento e pegou o tal de Youssef, que já tinha muitas passagens pela polícia, falando com outros caras. Ninguém sabia."
O ex-presidente destacou que a Petrobras não pode ser julgada pelos erros de uma minoria de servidores. "A Petrobras tem quase 86 mil trabalhadores. A gente não pode ficar julgando a Petrobras por causa de uma, duas ou dez pessoas que cometeram erros." 
Lula também falou sobre o PT: "O PT cometeu desvios porque começou a fazer política igual aos outros partidos políticos. O PT era para ser diferente de verdade."
Fonte: www.jb.com.br

Sucos que aliviam desconfortos da gastrite

 Sucos que aliviam desconfortos da gastrite (Foto: Reprodução)
A gastrite é caracterizada por uma inflamação da mucosa do estômago e entre os sintomas mais comuns estão a dor e a azia. Se o doente não se cuidar, pode haver agravamento dos sintomas, inclusive com sangramento digestivo. 
O bom é que existe cura para a gastrite e ela pode ser obtida tranquilamente pela medicina natural, então algumas ervas, verduras e frutas são especialmente indicadas para aliviar a gastrite. Portanto, chás e sucos simples podem dar uma ajuda na hora da crise.
Evitar café, refrigerantes e bebidas alcoólicas, alimentos com corantes, frituras, embutidos, pimentas e condimentos fortes e comer a cada três horas sem pressa, são medidas que ajudam tanto a prevenir quanto a tratar a gastrite.
Não esqueça que a bebida não substitui o tratamento indicado por um médico. Inclusive, lembre-se sempre de consultar seu médico antes de realizar qualquer tratamento, e mantê-lo informado sobre os tratamentos alternativos ou complementares que você possa vir a usar. 
:Confira algumas receitas de sucos que ajudam a aliviar os desconfortos causados pela gastrite
Suco de melão
Ingredientes:
-1 fatia grossa de melão sem casca e sem sementes
-1 xícara (chá) de água
Modo de preparo:Bata tudo no liquidificador e beba uma vez por dia, durante quatro dias.
Chá de alcaçuz
Ingredientes:
 -1 copo (250 ml) de água
-1 colher (sopa) de raízes de alcaçuz
Modo de preparo:Leve a água e as raízes para ferver por 10 minutos. Desligue o fogo e mantenha abafado por 5 minutos. Coe e beba após as principais refeições.
Contraindicação: evite usar o alcaçuz por tempo prolongado (no máximo 5 dias consecutivos), pois a planta pode elevar a pressão arterial.
Suco de maçã e couve
Ingredientes
-1 maçã sem sementes
-1 folha de couve
-Raspas de gengibre a gosto
-1 copo (250 ml) de água
-1 colher (sopa) de linhaça
Modo de preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba pela manhã.
Suco de couve e água de coco
Ingredientes:
-1 folha de couve
-1 colher (chá) de linhaça
-1 colher (chá) de capim-limão fresco picado
-1 xícara (chá) de água de coco
Modo de preparo:Bata todos os ingredientes no liquidificador. Beba uma vez por dia, de preferência sem adoçar.
Fonte:www.diarioonline.com.br

domingo, 23 de agosto de 2015

Minha Casa Minha Vida deixa rastro de obras inacabadas

 
As construtoras que dependem das obras do programa de habitação popular Minha Casa Minha Vida estão vivendo uma crise que começou no fim do ano passado e ainda não tem data para terminar. Mesmo após um acordo com o governo para esticar o prazo dos pagamentos – que antes era quase imediato – para até 60 dias, as empresas dizem que os repasses não foram regularizados e relatam falta de dinheiro para comprar materiais. O problema é notado em todo o País, mas concentrado no Nordeste, onde a construção civil depende mais de dinheiro público, segundo fontes do setor.
Com 4 milhões de unidades contratadas e 2,3 milhões entregues desde sua criação, o Minha Casa Minha Vida teve impacto positivo no emprego até 2014. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o programa criou 1,2 milhão de vagas. Agora, com obras paradas ou andando devagar por causa dos atrasos, as construtoras que aderiram ao programa estão cortando vagas.
O Nordeste concentrou 25% das unidades, segundo dados do Ministério das Cidades. Na região, que tem o maior desemprego do País, a construção lidera os cortes em seis Estados, segundo o Caged. Não há dados sobre o impacto do Minha Casa nos cortes. No Rio Grande do Norte, porém, o sindicato das construtoras, Sinduscon, afirma que um terço das demissões está concentrado no programa.Segundo o presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro de Holanda, a proporção pode ser até maior. A empresa de Holanda, a More Fácil, fez um corte radical. “Tinha 1,5 mil funcionários (no fim de 2014); agora, tenho 380.” Segundo ele, quem espera pela casa própria terá de ter paciência. “Tenho 400 unidades previstas para fevereiro que vou entregar em novembro. Isso se a situação dos pagamentos se resolver”, diz.
Até 2014, o Minha Casa Minha Vida era visto como “porto seguro” à crise da construção. Pesquisa da FGV mostra que, em dezembro, os empresários ligados ao programa tinham confiança de 96 pontos, superior à dos que dependiam do setor privado (86,6). Em junho de 2015, a situação se inverteu: os empresários do Minha Casa tinham confiança de 53,5 pontos, contra 58,8 dos privados. “Está claro que tanto os empresários quanto o objetivo social do programa serão afetados”, diz a economista Ana Maria Castelo, da FGV-Ibre.
O Sinduscon-SP prevê que o setor como um todo corte 475 mil empregos no País em 2015. Segundo o presidente da entidade, José Romeu Ferraz Neto, esse cálculo considera que os problemas no Minha Casa serão resolvidos rapidamente. “Se isso não ocorrer, o número sobe.”
O Ministério das Cidades admite os atrasos, mas diz que vai regularizar os pagamentos até o próximo dia 31.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Melbourne é 'melhor cidade do mundo' para se viver; Rio fica em 91º

 Ranking considera fatores como estabilidade, saúde, educação, infraestrutura, cultura e ambiente, mas exclui o custo de vida

Melbourne Austrália
A cidade australiana de Melbourne foi considerada a melhor do mundo para se viver, pelo quinto ano seguido, de acordo com ranking divulgado nesta terça-feira.
O Rio de Janeiro foi a cidade brasileira melhor colocada entre as 140 pesquisadas, na 91ª posição, estável em relação ao estudo do ano passado. São Paulo, que estava empatada com o Rio em 2014, caiu para a 95ª colocação.
O levantamento anual é realizado pela consultoria Economist Intelligence Unit e considera fatores como estabilidade, serviço de saúde, educação, infraestrutura, cultura e ambiente, mas exclui o custo de vida.
As cinco melhores cidades foram Melbourne; Viena, na Áustria, Vancouver e Toronto, no Canadá; Adelaide, na Austrália; e Calgary, também no Canadá.
O estudo considerou como piores as cidades de Damasco, na Síria; Daca, em Bangladesh; Port Moresby, em Papua Nova Guiné; Lagos, na Nigéria; e Trípoli, na Líbia.
O estudo aponta que "parece haver uma correlação entre os tipos de cidades que ficam no topo do ranking. Elas têm melhor pontuação por serem cidades de médio tamanho em países ricos com uma densidade populacional relativamente baixa".
Sete entre as dez melhores cidades estão na Austrália e no Canadá.
Rio de Janeiro foi a cidade brasileira mais bem colocada no ranking
Rio de Janeiro foi a cidade brasileira mais bem colocada no ranking
As cidades brasileiras ficaram atrás da argentina Buenos Aires (62ª posição), da chilena Santiago (64ª) e da uruguaia Montevidéu (68ª), mas à frente da Cidade do México (106ª).
Além de São Paulo, outras cidades latino-americanas caíram no ranking. Segundo o estudo, a piora se deve à instabilidade econômica nestes países, como inflação alta, que tem gerado protestos, influenciando na avaliação de estabilidade.
"Adicionalmente, muitas cidades na América Latina sofrem de alta criminalidade, que também afetam a instabilidade", disse Jon Copestake da Economist Intelligence Unit.
O levantamento indica ainda que as grandes cidades "tendem a ser vítimas de seu próprio sucesso", já que a infraestrutura destes centros pode ficar sobrecarregada, além dos maiores níveis de criminalidade. Neste grupo, diz o estudo, estão Nova York, Londres, Paris e Tóquio.
 http://ultimosegundo.ig.com.br

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Estudo aponta a cebola como aliada no combate ao câncer

 Vegetal da família do alho ajuda na prevenção de tumores na laringe e nos ovários
 

A cebola é um alimento que faz parte do cotidiano dos brasileiros. Na salada, no arroz e em molhos, esse vegetal é muito utilizado para dar sabor ou textura nas preparações. Além disso, ele é muito benéfico para a saúde.
A cebola (Allium cepa) é da mesma família do alho (Allium sativum). Uma pesquisa feita na Itália comprovou os efeitos positivos desses dois alimentos na saúde, inclusive no combate e na prevenção do câncer. O estudo foi guiado por Carlotta Galeone, do Istituto Richerche Farmcologiche Mario Negri, em Milão.
Efeitos da cebola na saúde
O estudo avaliou dois grupos. O primeiro de portadores de câncer que ingeriam entre 0 e 14 porções desse alimento por semana. O segundo era de pessoas saudáveis, que consumiam até 22 porções do vegetal ao longo de sete dias.
A pesquisa avaliou os efeitos da cebola e do alho em várias partes do corpo. A ideia era entender os efeitos do câncer em locais como a boca, a laringe, o esôfago, o cólon, as mamas, os ovários e rins.
Com a pesquisa, foi possível notar que a ingestão moderada de cebola reduz os riscos de câncer colorretal, de laringe e de ovários. O efeito de proteção é ainda mais eficiente em quem consome mais do vegetal.
A pesquisa ainda diz que as pessoas que tinham um alto consumo desse alimento também diminuíram as chances de tumores no esôfago e na boca.
Quanto ao alho, os resultados foram similares. Observou-se que a ingestão moderada previne contra câncer colorretal e nos rins. E quanto maior o consumo, menores os riscos de contrair as doenças.
O resultado da pesquisa apontou que ter cebola e alho na dieta é efetivo na prevenção contra todos os tipos de câncer pesquisados, menos o de mama e de próstata. O documento diz que esses dois estão mais associados a problemas hormonais e reprodutivos.
Cebola na dieta
Se você ainda não incluiu esse vegetal na preparação diária dos alimentos, o potencial de prevenir câncer é um ótimo motivo para mudar esse hábito. Segundo o nutricionista Luis Felipe Chaves Prates, ele também ajuda a prevenir problemas renais, doenças cardiovasculares, respiratórias e do sistema nervoso.
Luis Felipe recomenda incluir esse ingrediente em duas refeições, preferencialmente no almoço e jantar. Ele menciona que o vegetal pode ser servido em saladas ou como tempero dos alimentos. Também pode ser usado no arroz, no feijão, em molhos de tomate ou brancos, para temperar a carne e muito mais.
Mas atenção: se consumido cru, ele pode causar halitose, o popular mau hálito. O vegetal ainda pode dar um certo desconforto no aparelho digestório e causar flatulência quando é consumido em grandes quantidades ou por quem tem sensibilidade.
Os lados negativos desse alimento são facilmente contornáveis. Preparado do jeito certo e consumido na quantidade ideal, ele é ótimo para a saúde.
http://www.ormnews.com.br

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

BRASÍLIA - A Câmara finalizou nesta quarta-feira a votação da PEC da reforma política e confirmou a possibilidade de doações empresariais a partidos políticos. O texto agora vai ao Senado, onde deve ser apreciado em dois turnos.
No final de maio, a Câmara aprovou, em primeiro turno, a doação de empresas a partidos políticos nas campanhas eleitorais, que havia sido derrubada na votação da madrugada do dia anterior. O texto permite que as empresas doem apenas para os partidos, com a chamada doação oculta, quando os partidos centralizam o recebimento das doações, repassando-as aos candidatos, sem que se saiba que empresa financia a eleição de qual candidato. Pessoas físicas poderão doar aos partidos e aos candidatos.
Na última semana antes do recesso parlamentar, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), suspendeu a sessão que analisaria esse ponto após PT e PPS apresentarem pedido de retirada da parte do texto que permite a doação por parte de empresas. Na volta aos trabalhos legislativos, Cunha indeferiu o pedido.
Fonte: O Globo



quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Reprovação de Dilma supera Collor antes do impeachment


A presidente Dilma Rousseff (PT) atingiu índice de reprovação pior do que as taxas registradas por Fernando Collor às vésperas de sofrer um processo de impeachment. Segundo pesquisa Datafolha feita entre segunda e terça-feira, a presidente chegou a 71% de reprovação. Em levantamento anterior, feito em junho, a taxa era de 65%. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
A avaliação de quem considera a atuação de Dilma como ótima ou boa caiu de 10% em junho para 8% em agosto. Também aumentou o número de pessoas que defendem a abertura de um processo de impeachment, passando de 63% em abril para 66% em agosto.
Segundo o instituto, os números desta semana são os piores desde que a série de pesquisa foi iniciada em âmbito nacional, em 1990. Dessa forma, Dilma passa a ser a presidente com pior taxa de popularidade entre todos os eleitos diretamente desde a redemocratização.
Para Dilma, a pior taxa de reprovação aparece no Centro-Oeste, com 77%. No Sudeste e no Sul, 73% dos entrevistados disseram que o governo é ruim ou péssimo. No Nordeste, essa taxa é de 66%.
O Datafolha entrevistou 3.358 pessoas com 16 anos ou mais em 201 municípios nas cinco regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança do levantamento é de 95%.
Fonte: Terra